PROCURA FORNECEDOR?

A história da Música de Natal Noite Feliz

Neste Natal, compartilhamos uma história real e bem linda, que fala da fé e da capacidade que todos nós temos de nos reinventar diante dos desafios. Uma história que tem a ver com a nossa paixão por Natal, por História, por Música e pela Áustria da nossa Imperatriz Leopoldina. Que em 2018 a gente transforme cada desafio em uma grande oportunidade de sucesso!

Era véspera de Natal na então Áustria imperial de 1818. E neste que seria o segundo Natal da família de Habsburg sem a presença da princesa Leopoldina – que já estava no Brasil há um ano –, algo verdadeiramente especial aconteceu.

Na pequena vila de Oberndorf, o padre Joseph Mohr estava preocupadíssimo, pois seria sua primeira véspera de Natal na igreja de São Nicolau e a Missa do Galo estava ameaçada: o órgão da igreja havia quebrado e a celebração corria risco de acontecer sem música.

Diante disso, o padre fez o que sabia fazer de melhor. Rezou. Pediu orientação a Deus para ter uma saída criativa. Foi então que se lembrou que, dois anos antes, havia escrito um poema de Natal bem simples, após uma caminhada no silêncio do bosque repleto de neve. Encontrou o seu poema numa gaveta da sacristia.

Com o poema em mãos, correu para a casa de um amigo músico, o humilde Franz Gruber, e perguntou se ele poderia musicar o poema para que todos pudessem cantar juntos na missa de Natal.

Franz disse que sim, porque a letra permitia uma melodia fácil. Mas, teria de ser tocada apenas em violão e flauta, pois não havia tempo para nada mais elaborado. O padre Mohr agradeceu e correu de volta para a igreja.

À noite, Franz chegou na igreja com o violão e reuniu o coral para ensinar a música improvisada. E qual era o nome da música? Stille Nacht (Silent Night ou Noite Feliz).

Os membros da igreja de Obendorf cantaram maravilhados. Semanas depois, o técnico que veio consertar o órgão ouviu a história e pediu para tocar a música no órgão. Ficou tão impressionado que repartiu a melodia pelas igrejas por onde passava, até que chegou aos ouvidos do Rei William IV da Prússia, e a Nova York, em 1838. Em 1900, a música já era mundialmente conhecida.

A igreja de São Nicolau não existe mais. Foi demolida no começo do séc. XX. Em seu lugar, foi construída a Capela Memorial da Noite Silenciosa (Stille-Nacht-Gedächtniskapelle), que, apesar de acolher só 20 pessoas, recebe no fim do ano cerca de 7 mil peregrinos para a missa de Natal, e outros quase 2 mil turistas.

E assim, o que começou como um momento de pânico e perspectiva de fiasco terminou como um presente de Natal para toda a humanidade em forma de música.

Noite Feliz foi executada pela primeira vez na Missa do Galo daquele ano na paróquia de São Nicolau. Tem versões em, pelo menos, 45 línguas. Foi considerada um Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO. E segue até hoje nos abençoando.

Contate as empresas mencionadas na matéria